Artigos

Memorial dos Soldados da Borracha e Seringueiros será construído no Parque Circuito

A história sofrida e esquecida dos Soldados da Borracha e Seringueiros da região Norte do Brasil, pelo governo da Presidenta da República Dilma Rousseff (PT), agora será relembrado em um memorial, que será construído no Parque Circuito de Porto Velho (RO). Uma área vasta e repleta de Seringueiras, árvore de onde extraí o látex. O projeto socioambiental e cultura visa ser aberto ao público a partir do primeiro período de 2015.

 

Na manhã da última terça-feira (08), o vice-presidente do SINDSBOR (Sindicato dos Seringueiros e Soldados da Borracha do Estado de Rondônia), George Telles de Menezes, participou de uma reunião com o Secretário da SEMA (Secretaria Municipal de Meio Ambiente), Edjales Benício de Brito, que procurou membros do sindicato e propôs o projeto cultural para Rondônia.

 


Segundo Edjales de Brito, os Seringueiros e Soldados da Borracha fazem parte do conjunto histórico, artístico e cultura do povo não só da Capital e sim do Estado de Rondônia. De acordo com Secretário da SEMA, a participação direta dos sobreviventes do período áureo da Borracha será fundamental para a conclusão do Memorial dos Seringueiros e Soldados da Borracha.

Para o vice-presidente do SINDSBOR, George Telles de Menezes, a ideia é fantástica, pois dezenas de milhares de crianças, adolescentes e jovens da nossa região irão conhecer de perto a saga dos Seringueiros e Soldados da Borracha em meio à selva Amazônica nas décadas de 30 a 50, após a II Guerra Mundial. Telles ainda sugeriu a participação do Exército Brasileiro, através do General Novaes. Todos que estavam presentes na reunião concordaram com a participação da Força Armada brasileira. “Vamos fazer de tudo para que este projeto saia do papel o mais rápido possível. Agradecemos o secretário de Meio Ambiente, Edjales pela preocupação e a nossa luta continua”, disse Carioca.

HISTÓRIA VIVA

Dois sobreviventes da guerra da borracha na Amazônia brasileira participaram da reunião com o secretário da SEMA e ficaram lisonjeados com a iniciativa da Prefeitura de Porto Velho.  Após o encontro, os Soldados da Borracha Antônio Falcão (83) anos e José Romão Grande (95) anos foram verificar de perto as novas instalações do memorial. Gostaram e relembraram os momentos de trabalho tocando nas Seringueiras do Parque Circuito.

Entretanto, a diretoria do SINDSBOR busca soluções plausíveis para que a história dos Seringueiros e Soldados da Borracha não morra e muito menos caia no esquecimento da população oriunda dos tradicionais e clássicos caboclos do nosso “Beradão”.

Fonte: saibaqui.com

CONFIRA GALERIA DE FOTOS ABAIXO: A história sofrida e esquecida dos Soldados da Borracha e Seringueiros da região Norte do Brasil, pelo governo da Presidenta da República Dilma Rousseff (PT), agora será relembrado em um memorial, que será construído no Parque Circuito de Porto Velho (RO). Uma área vasta e repleta de Seringueiras, árvore de onde extraí o látex. O projeto socioambiental e cultura visa ser aberto ao público a partir do primeiro período de 2015.

Na manhã da última terça-feira (08), o vice-presidente do SINDSBOR (Sindicato dos Seringueiros e Soldados da Borracha do Estado de Rondônia), George Telles de Menezes, participou de uma reunião com o Secretário da SEMA (Secretaria Municipal de Meio Ambiente), Edjales Benício de Brito, que procurou membros do sindicato e propôs o projeto cultural para Rondônia.

Segundo Edjales de Brito, os Seringueiros e Soldados da Borracha fazem parte do conjunto histórico, artístico e cultura do povo não só da Capital e sim do Estado de Rondônia. De acordo com Secretário da SEMA, a participação direta dos sobreviventes do período áureo da Borracha será fundamental para a conclusão do Memorial dos Seringueiros e Soldados da Borracha.

Para o vice-presidente do SINDSBOR, George Telles de Menezes, a ideia é fantástica, pois dezenas de milhares de crianças, adolescentes e jovens da nossa região irão conhecer de perto a saga dos Seringueiros e Soldados da Borracha em meio à selva Amazônica nas décadas de 30 a 50, após a II Guerra Mundial. Telles ainda sugeriu a participação do Exército Brasileiro, através do General Novaes. Todos que estavam presentes na reunião concordaram com a participação da Força Armada brasileira. “Vamos fazer de tudo para que este projeto saia do papel o mais rápido possível. Agradecemos o secretário de Meio Ambiente, Edjales pela preocupação e a nossa luta continua”, disse Carioca.

HISTÓRIA VIVA

Dois sobreviventes da guerra da borracha na Amazônia brasileira participaram da reunião com o secretário da SEMA e ficaram lisonjeados com a iniciativa da Prefeitura de Porto Velho.  Após o encontro, os Soldados da Borracha Antônio Falcão (83) anos e José Romão Grande (95) anos foram verificar de perto as novas instalações do memorial. Gostaram e relembraram os momentos de trabalho tocando nas Seringueiras do Parque Circuito.

Entretanto, a diretoria do SINDSBOR busca soluções plausíveis para que a história dos Seringueiros e Soldados da Borracha não morra e muito menos caia no esquecimento da população oriunda dos tradicionais e clássicos caboclos do nosso “Beradão”.

Fonte: saibaqui.com